Seja BEM-VINDO ao blogue da Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras.
Aqui encontrará informação regular e atempada sobre as actividades e eventos, realizados e a realizar, da nossa/sua Associação, assim como outros eventos relacionados com Oeiras, a sua história, o seu património, a sua herança cultural, e a sua envolvente. Neste último sentido, referimos também eventos culturais realizados por outras entidades e instituições noutras localidades.
Contamos com a sua presença regular neste espaço. Contamos CONSIGO!
VOLTE SEMPRE!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Herança Imperial Portuguesa




Herança Imperial Portuguesa
[ história / vídeo ]
Mundo

- - - - -

Um amigo nosso enviou-nos um link para um vídeo que achamos muito interessante, com imagens de alguns exemplos de edifícios, fortes e fortalezas que os portugueses deixaram espalhados um pouco por toda a parte, aquando da diáspora dos Descobrimentos e do Império.
Decidimos partilhar com todos este curioso acervo de imagens que nos fazem sonhar com um passado de glória. Disfrutem!

Herança Imperial Portuguesa
-- 
Lumife


- - - - -

fotografia de abertura - a Fortaleza da Barra do Rio Grande, popularmente conhecida como Forte dos Reis Magos ou Fortaleza dos Reis Magos, na cidade de Natal, Brasil -, fotograma do video “Portuguese Empire Heritage” do sítio internet YouTube a quem agradecemos.

2 comentários:

Gastão de Brito e Silva disse...

Esta é a primeira de todas as fortalezas de artilharia de costa, bem às portas de Lisboa...

É com orgulho lusitano que tratamos das outras além fronteiras, mas as que estão em solo nacional, são na maioria dos casos um crime de lesa património!!!


http://ruinarte.blogspot.com/2009/12/torre-de-sao-sebastiao-da-caparica.html

José António Lourenço Martins Baptista disse...

Caro Gastão de Brito e Silva,

Subscrevo. E não só em relação às fortalezas.
Tratamos muito mal o nosso património histórico, cultural e monumental.

Fortalezas, igrejas, palácios e palacetes, edifícios do mais variado tipo, estruturas de toda a espécie, estão em muitos casos ao abandono e em risco de ruína total.

Já conheço, via internet, o seu projecto “Ruin’arte”, do qual inclusivé fiz eco aqui no blogue, e aproveito para o parabenizar pelo mesmo.

Grato pela visita. Volte sempre!

J A Baptista